R$69,90

3x de R$23,30 sem juros
Ver meios de pagamento
Entregas para o CEP: Alterar CEP
Meios de envio
Nossa loja
  • OmniverseRua Comendador Eduardo Saccab, 180 - Terça a Quinta e Domingo das 12:00 as 21:00 / Sextas e Sábados das 12:00 as 00:00
    Grátis
Descrição

Este volume insere o universo do Rastro de Cthulhu nos anos da Grande Guerra (1914-18). Do conflito no ar às profundezas do mar, em todas as diferentes frentes de batalha, a Grande Guerra afeta a vida de milhões de pessoas além de colocar a humanidade em conflito com elementos do Mythos, e em particular Mordiggian, o Deus Sepulcral, que, pela primeira vez em séculos, pode realmente ter mais para devorar do que pode aguentar.

Os Deuses não gostam de ser perturbados muito menos costumam ter favoritos e os jogadores, a menos que sejam cuidadosos, podem ser atacados e destruídos em um instante ao serem pegos em um fogo cruzado de outro mundo do qual só podem esperar sobreviver e não entender.

Dulce Et Decorum Est: o Mythos de Cthulhu na Grande Guerra contém os seguintes cenários:

VATERLAND: O outrora poderoso Vaterland é um prisioneiro da política. A embarcação está presa no porto de Nova York enquanto a guerra ocorre na Europa. Sua tripulação e o comodoro são tão prisioneiros quanto o próprio navio, embora estejam aproveitando ao máximo o cativeiro ao realizar concertos em apoio ao esforço de socorro alemão. Os Investigadores embarcaram a pedido de John Rathom, editor do Providence Journal, na esperança de descobrir uma trama alemã.

DEAD HORSE CORNER: Os protagonistas descobrem que uma trincheira que deveria ter sido ocupada por seus companheiros soldados foi abandonada. Vinte homens desapareceram sem deixar vestígios, mas a comida ainda está sobre a mesa e o café está esfriando em suas canecas... Foi um ataque inimigo ou algo menos comum?

IRMÃS DA AMARGURA: A tripulação do submarino alemão UC-12 é enviada em uma missão padrão: penetrar na zona defensiva do Mar do Norte, seguir para Tyneside, colocar suas minas e retornar. Porém, nada na Grande Guerra é tão simples. Enquanto submersa, a tripulação começa a ouvir um barulho estranho e abafado, tocando como uma sequência de sinos de igreja. Não são baleias. Não são forças inimigas. Algo diferente está nas profundezas. Enquanto se estabiliza no fundo do mar para descansar um pouco, a equipe começa a agir de forma suspeita. Alguém está fazendo algo ruim. O gato do navio desaparece e uma erva estranha é encontrada crescendo a bordo. Então as batidas no casco começam...